sábado, 2 de janeiro de 2010

Margareth Santos Borges Vilela
Mineiros - GO


Conheci a Seicho-No-Ie no ano de 1996, onde recebi três revistas – Pomba Branca, Fonte de Luz e Mundo Ideal -, as quais foram engavetadas. Mas esta mãe maravilhosa que possuo na Seicho-No-Ie, Bernadete de Lourdes Colin, não desistiu e me enviou um convite para participar de um Seminário de Gratidão aos Pais. Foi aí que passei a praticar e freqüentar as reuniões de vizinhanças de minha cidade, tomando a decisão de conhecer e levar esta filosofia ao maior número de pessoas.No ano de 1998, meu pai foi acometido por uma tuberculose na coluna, com dores fortíssimas, ficando uns 20 dias em momentos alternados sem lucidez e, nos momentos em que eu ficava com ele, sempre lia a Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade ou a Contínua Chuva de Néctar da Verdade para ele. Nesses momentos, aliviava a dor e ele conseguia dormir um pouco. Então, sempre que eu chegava ao hospital para ficar com ele, me pedia: “Faça aquela sua reza”. Logo em seguida, foi acometido por aneurisma, sendo então marcada uma cirurgia para remover o coágulo. Nesse espaço de tempo, entre o diagnóstico até a cirurgia, transcrevi a Sutra Sagrada Chuva de Néctar da Verdade para o papai, passei a oferecer Oração de Gratidão aos Antepassados e incansavelmente a visualizar a Imagem Verdadeira do meu pai, como filho de Deus, perfeito, saudável e maravilhoso. Então, foi realizada a cirurgia. Mas, antes, papai fez um acordo com o médico que, ao terminar a cirurgia, minha mãe iria à U.T.I., pois ele queria vê-la, e assim eles firmaram o acordo. Só que o médico não contava que, ao abrir o crânio de papai, o coágulo estaria desfeito, e que papai precisaria de apenas alguns instantes na U.T.I., somente para se recompor, pois estava bastante frágil. Então, recebemos mais uma graça, pois há casos de aneurisma em que nem cirurgia pode ser feita; há outros que deixam seqüelas na pessoa, paralisando algum lado; outros em que não falam direito. Mas, no caso do meu pai, o coágulo foi desfeito antes da intervenção cirúrgica! Mas foi preciso ficar em repouso, sob observação médica, pois os médicos não entenderam o acontecido. Quando já estava quase recuperado para voltar para casa, surgiu um problema no coração e, após incansáveis exames e idas para São Paulo foi diagnosticado que seria necessária mais uma intervenção cirúrgica para trocar duas válvulas do coração. E, lá foi mamãe com papai para Goiânia novamente, para realizar a cirurgia. Para a nossa família não foi fácil porque o papai para nós era como a galinha com pintinhos em casa: trazia todos os filhos debaixo das asas, cuidando, protegendo, enfim nos guardando de todas as dificuldades. Por aí se pode imaginar o quanto estava sendo difícil para nós, mas não perdemos a fé em Deus e mantivemos a calma. Continuei com as sutras, Orações aos Antepassados, Meditação Shinsokan visualizando a Imagem Verdadeira e perfeita de papai. Correu tudo perfeito. Papai voltou para casa; agora, era só a fase de recuperação. Nisso, já era final de dezembro de 1999. Uma pessoa em fase pós-operatória do coração fica frágil, muito sensível. Papai tinha um medo terrível de morrer, e, além da cirurgia, ele também se preocupava se entraria no ano 2000. Com toda essa onda de ilusões, papai caiu numa depressão violenta, e tudo de estranho e horrível que pudesse acontecer a uma pessoa, sucedeu ao meu pai. Todos os lugares, remédios, simpatias que podíamos levar e serem feitos nós fizemos. Até que, um dia, caímos em nós e lembramos: “Nós temos DEUS, e o meu pai é um filho de Deus, perfeito, isento de todas estas ilusões! Sua Imagem Verdadeira é perfeita!”. Paramos com tudo, seguramos e entregamos nas mãos de Deus todos aqueles problemas, visualizando a Imagem Verdadeira de filho de Deus, perfeito, de papai.Hoje, quase dez anos depois de todas essas turbulências sofridas para o crescimento de cada um de nós, meu pai é um homem saudável, perfeito! E quem pôde caminhar ao nosso lado nesta caminhada fica perplexo diante da perfeição em que papai se encontra. Quem não pôde estar ao nosso lado e ficou sabendo, diz “Mas é só por obra de Deus mesmo, pois nem parece que seu pai passou por tudo isso”. Então, só tenho a agradecer imensamente a Deus, aos antepassados, aos meus pais e familiares, e em especial a esta pessoa maravilhosa que é Bernadete, por ter plantado a semente da Seicho-No-Ie em minha vida. Muito obrigada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário